terça-feira, 19 de julho de 2011

Entrevista: Guilherme Kroll

Por Gabriel Guimarães
  
A matéria de hoje marca uma estreia para o blog Quadrinhos Pra Quem Gosta. Normalmente, sempre procuramos falar sobre todas as nuances das histórias em quadrinhos e o papel destas na formação social de cada um, porém, sempre procuramos enfatizar que todas essas experiências não seriam possíveis sem a participação mais do que ativa de certos profissionais do meio, que trabalham incessantemente, movidos pela paixão à arte sequencial.

E, neste dia, para mostrar um pouco dessa perspectiva que influencia tantas pessoas ao redor de todo o Brasil, tenho o prazer de anunciar a primeira entrevista realizada pelo blog, feita com o grande editor e um dos fundadores da Balão Editorial, Guilherme Kroll, que esteve diretamente envolvido em diversos projetos da nona arte, que vão desde obras autorais, como "Nós", do quadrinista Mario Cau (cujo lançamento foi comentado antes aqui no blog), até coletâneas de tirinhas, como "Os Passarinhos", de Estevão Ribeiro.

QUADRINHOS PRA QUEM GOSTA: Em primeiro lugar, muito obrigado por nos conceder essa entrevista. Sabemos o quanto a vida de editor é ocupada, e, por isso, agradecemos sinceramente pela sua disponibilidade.

GUILHERME KROLL: É um grande prazer para mim receber vocês. É sempre importante para os editores terem esse contato com o público.

Como é o processo de produção dos livros feitos por você na Balão Editorial, depois que o original já foi aprovado e finalizado?
Temos um longo processo de aprovação e finalização do trabalho original. Depois disso, trabalhamos da seguinte maneira: o copydesque acontece antes, durante a finalização do original, então, o texto passa por uma preparação. Se for uma HQ, durante esta etapa, levantamos possíveis ajustes que precisem ser pedidos ao desenhista. Se for um livro ilustrado, fazemos o briefing das ilustrações nessa etapa também. Finalizado esse processo de preparação, o livro vai para projeto gráfico e diagramação. Depois, revisão, emendas, segunda revisão, e fechamento de arquivos.

Quais as principais dificuldades ou etapas mais complicadas no processo de produção como um todo?
A maior dificuldade é a impressão mesmo. Garantir que a gráfica fará um bom trabalho é difícil, especialmente em impressões fora de São Paulo. Aqui em São Paulo, podemos acompanhar as impressões, e o resultado tende a ser melhor.
Guilherme na Rio Comicon 2010
(que teve cobertura completa
aqui no blog)

Quem decide as especificações técnicas do livro (formato, gramatura, etc)? Isso é definido de antemão ou é algo feito ao longo do processo?
A editora de arte que define isso, muitas vezes em acordo com o autor. Geralmente isso é definido quando o original já está pronto, mas pode variar durante o processo. Custos gráficos influenciam muito nisso.


Tirando o desenho da capa, que costuma ser do próprio autor dos quadrinhos publicados no miolo, o design dela é de autoria do autor também ou é algo feito por terceiros? Caso seja por terceiros, como se dá essa escolha do responsável pelo design da capa?
Novamente, o design da capa é feito pelo autor em acordo com a editora de arte. Caso não seja feito pelo autor, a nossa editora de arte, Natália Tudrey, é quem assina as capas.

A Balão Editorial trabalha mais com trabalho terceirizado ou possui uma equipe fixa?
Temos uma equipe fixa interna, mas ocasionalmente passamos trabalhos para terceiros.
  
Alguns trechos da obra "Nós",
 publicada por Guilherme

Você faz o acompanhamento gráfico de todas as etapas de produção junto aos autores? Como isso é feito?
Muitos autores chegam com o original já pronto. Nesses casos, não. Mas quando acompanhamos desde o começo, vemos rafes, projetos, enfim, tudo que permeia a pré-produção das HQs, sugerindo mudanças quando necessário.

Depois que o original já está entregue para acabamento, o autor tem algum contato com as etapas anteriores à distribuição e venda do produto? Caso ele deseje modificar algo, existe essa possibilidade?
Geralmente, não. Mandamos uma prova final para ele aprovar, mas, fora isso, tudo fica no nosso controle. Se o autor quiser mudar algo, ele manda uma solicitação e procuramos viabilizar a mudança.

Como você vê o mercado editorial hoje, a respeito do livro como produto?
O mercado editorial está em um período nebuloso. O produto livro tem diversas possibilidades e tanto leitores quanto editores estão descobrindo novos caminhos para esse material. Creio que, em dois ou três anos, saberemos o que pode mudar após a onda de e-readers, tablets e pirataria digital.


Qual sua opinião sobre o surgimento do e-book?
Acho o e-book um produto muito interessante, tem diversas vantagens em relação ao impresso, mas muitas desvantagens também. A principal vantagem, ao meu ver, é o espaço. Um arquivo eletrônico não ocupa nada na sua casa, enquanto um livro precisa de uma estante. Num mundo com cada vez menos espaço, isso fará diferença. Entretanto, você não pode esperar que o consumidor vá pagar o mesmo valor pelo arquivo que pelo produto impresso, que tem muito mais custos. Pensando nisso, nós colocamos nossos e-books a um preço mais acessível que os livros impressos, para estimular o leitor a comprá-los.

Imagem de "Os Passarinhos"
Sei que vocês já produziram os álbuns “Entrequadros – A Walk on The Wild Side”, “Os Passarinhos” e “Sombras e Sonhos” no formato e-book, que já estão disponíveis na loja eletrônica da Gato Sabido. Poderia dizer suas observações quanto a esse processo?
O processo é um pouco complicado, demanda saber converter os arquivos em um formato novo chamado e-pub. Em livros como o “Entrequadros – A Walk on The Wild Side”, isso não foi possível, e tivemos que colocar em PDF. A criptografia do arquivo é feita via DRM pela própria Gato Sabido.


A Balão Editorial tem alguma perspectiva de utilizar mais vezes o formato e-book em breve? Como você vê o futuro da editora com relação a esse mercado eletrônico que tende a crescer cada vez mais?
Pretendemos lançar todo o nosso catálogo em e-book e lançar alguns novos livros apenas em e-book, numa fase de testes. Esperamos que as vendas cresçam nos próximos anos e vamos investir nisso.

4 comentários:

Guilherme Kroll disse...

Obrigado Gabriel. Quem quiser comprar os nossos livros é só visitar http://www.balaoeditorial.com.br

Maria Clara Modesto disse...

Gostei mt da entrevista. Foi bem esclarecedora, principalmente para pessoas como eu, que ainda estão começando.
Que venham novas entrevistas!

SuperNovo disse...

Muito interessante a entrevista. Gostei muito de saber mais sobre o processo editorial dos quadrinhos no Brasil.

Visitei o site da Balão Editorial e achei muito bom. Parabéns Guilheme Kroll, continue o excelente trabalho!

GG disse...

Mais uma vez, agradeço sinceramente pela sua disponibilidade, Guilherme, por essa entrevista para o blog, e desejo tudo do melhor para você e a Balão Editorial! Que bom que vocês gostaram da matéria, Maria e Supernovo, com certeza o objetivo do Quadrinhos Pra Quem Gosta é permitir um maior entrosamento dos leitores de quadrinhos com os responsáveis pela produção destes e também com o mercado editorial como um todo, e é através dessa entrevista de estreia, que tentamos ficar um pouco mais perto dessa meta. Obrigado a todos pela atenção, e não deixem de conferir as próximas duas matérias, que serão muito especiais para o blog e, espero, para todos vocês. Fiquem atentos!