domingo, 25 de dezembro de 2011

É Natal nos Quadrinhos!

Por Gabriel Guimarães


Época de solidariedade e recordação, o Natal é parte essencial do ano, sempre reservando a todos surpresas, sejam estas através de presentes inesperados ou mesmo por experiências cuja dimensão de importância em nosso cerne é muito maior do que poderíamos prever. A surpresa de abrir um presente, embrulhado com todo carinho, que estava repousando embaixo da árvore decorada é um sentimento único, que se relaciona às raízes mais profundas da nossa memória e ativa em nós o que podemos denominar nostalgia, que consiste na sede de lembrar não de momentos específicos, mas de reviver sensações e emoções que nos marcaram e determinaram muito do nosso caráter ao longo da vida que já passou.


Especial de Natal clássico da Disney, que
reconta a  história de Dickens

Essa revitalização do passado é objeto de destaque em muitas obras que retratam o Natal, dentre as quais se destaca a mais clássica de todas, "Um Conto de Natal", escrito em 1843 pelo escritor britânico Charles Dickens. Centrada nas memórias de um rico rabugento e dono de um negócio que não pretende fechar nem no Natal para dar folga aos funcionários, a história conta a origem da postura egoísta do seu protagonista, Ebenezer Scrooge, a influência de suas ações na vida daqueles próximos a ele, no caso, para seu sobrinho que trabalha para ele, e o rumo que seguiria a vida do mesquinho senhor se permanecesse agindo de forma tão petulante como agia. A fórmula desse conto é excelente, tanto que foi repetida e adaptada para dezenas, se não centenas, de outras histórias e especiais de Natal ao longo do século XX e já na parte inicial do XXI. As influências dessa história, inclusive, acabam chegando aos quadrinhos de forma bastante clara, vide o famoso personagem da Disney, Tio Patinhas. O personagem criado por Carl Barks em 1947 teve seu nome na versão original, em inglês, retirada do nome do protagonista da história de Dickens, sendo batizado de Scrooge McDuck.

Entretanto, não é apenas a uma temática criada a partir de um dos pensamentos do Natal que se limita a relação dos quadrinhos para com esta data festiva. Seja feita de forma clássica, a fim de resgatar sentimentos passados dos leitores e relaciona-los com suas memórias de infância; ou com objetivo de sensibilizar, a fim de abrir os olhos das pessoas para ações que podem e devem ser tomadas pelo próximo, conforme dita a essência desse evento anual; ou mesmo de brincar com os elementos mais recorrentes da data, como a figura do Papai Noel, antologicamente assimilada a essa época do ano desde o começo do século XX, em muito devido ao trabalho de talentosos desenhistas como Norman Rockwell;, essa época do ano sempre teve destaque na arte sequencial, e abordar as diferentes vertentes em que isso acontece representaria uma variedade imensa. Conforme podem ser vistos nos exemplos de imagens que ilustram a matéria de hoje, diversos autores já trabalharam com o tema, e continuarão trabalhando.


"Jingle Bella", de Paul Dini

Ainda que não haja espaço na lotada agenda das editoras de quadrinhos para publicar um especial para o Natal todos os anos, a quantidade de material sobre a data é impressionante. Seja expandindo o universo tradicional dos personagens desse evento, como é o caso da filha do Bom Velhinho, "Jingle Bella", criada pelo roteirista Paul Dini, ou mesmo desvirtuando os costumes e tradições da data, como fizeram os títulos controversos dos personagens Lobo e Hitman, o Natal permanece um momento de grande importância para o universo dos personagens. E isso se dá justamente por ele ter também uma grande importância para o universo dos leitores, que são os responsáveis por munir as páginas cheias de tinta e dobras com vida, em essência.


Edição do personagem Lobo,
em que ele enfrenta Papai Noel

Edição de "Luluzinha" sobre Natal

Como destaquei na última matéria feita aqui no blog, o Natal, entretanto, não se limita aos seus elementos corriqueiros facilmente identificados em qualquer representação do mesmo. Esse evento não se limita à neve caindo do céu, lareiras aconchegantes ou então um velhinho de barbas e cabelos longos e brancos, com uma barriga gordinha e de textura macia, trajando um uniforme vermelho dos pés à cabeça, com um saco de presentes nas costas, voando em um trenó pela fria noite guiado por renas capazes de voar. Natal é época de retribuir o carinho dos outros, de buscar esperança naquele que é a grande razão dessa comemoração, Jesus Cristo, e transmitir esse sentimento para nossas vidas pelo resto do ano que vem a seguir dessa comemoração, e além. A animação da Turma da Mônica, que foi exibida ontem à noite no especial de Natal da Rede Globo, exemplifica muito bem isso. Num momento espetacular de amor ao próximo, Mônica abre mão de seu coelhinho de pelúcia azulado, Sansão, para poder levar alegria a uma menina de rua. Como público cativo de décadas de histórias em quadrinhos dos personagens de Maurício de Sousa, esse ato tem uma carga emotiva simplesmente impressionante por trás da cena propriamente dita, pois o coelhinho representa parte da essência da personagem Mônica, e ali estava ela, abrindo mão dessa parte de si pela outra, que apesar de ser igual a ela, tem condições de vida muito diferentes da dela. Gostaria de deixar aqui um aplauso sincero pela mensagem passada pelos estúdios MSP através dessa animação, que pode ser vista abaixo.


Enfim, esse dia, tão especial em sua essência, mais uma vez vai se acabando e ficam os frutos que ele proporcionou a cada um de nós. Apesar de compreender como esse momento do ano deveria ser passado em paz e harmonia, respeito e amor, é fato reconhecido que há pessoas que, infelizmente, não têm condições de vivenciar a verdadeira essência do Natal. É por isso, portanto, que convido todos os tão bons amigos leitores a extenderem suas mãos e buscar ajudar da forma como for possível aqueles que precisam de ajuda, seja esta financeira, física ou emocional. Sejamos presente para a vida dos outros neste dia, como Cristo foi presente para a vida de todos nós, ao nascer em berço humilde num celeiro em Belém. Desejo, mais uma vez, então, um Natal maravilhoso a todos e que Deus os abençoe muito em todos os dias de suas vidas.

FELIZ NATAL!

3 comentários:

Maria Clara Modesto disse...

Muito bom. Recomendo também o "Natal de Charlie Brown". Acabou de ser impressa uma nova edição desse episódio tão famoso. Alta qualidade. Para quem não conhece (e até para quem já conhece), vale muito a pena. A mensagem q é transmitida tbm é ótima

Bongop disse...

Um Bom Natal e um Bom Ano Novo para ti!
:)

Abraço

João Ferreira disse...

Essa do Lobo X Papai Noel eu li! haha Maior zoeira! E assisti esse especial de natal da Mônica tb. adoro Mônica! Abraços!