terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Um Rio de Arte Que Não Mais Correrá

Por Gabriel Guimarães

Al Rio em cima de sua prancheta
Um dia após o Dia do Quadrinho Nacional, é com grande pesar que chega a informação do falecimento do talentoso artista cearense Alvaro Araújo, mais conhecido pelo seu nome artístico Al Rio, a toda a comunidade de admiradores da nona arte. Um dos primeiros brasileiros a se aventurar profissionalmente no mercado americano de histórias em quadrinhos, Rio passou por grandes títulos e editoras, consolidando sua carreira como um artista extremamente versátil e talentoso.

Homem-Aranha no traço de Al Rio

Conforme foi confirmado pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) de Fortaleza, onde residia no bairro de Serrinha, Rio foi encontrado já sem vida, porém, as causas para esse acontecimento chocante no público da arte sequencial não foram oficialmente confirmadas. Tendo participado recentemente da primeira edição da ComicCon, segmento do evento Sana Fest 2012, Rio demonstrava estar bem de saúde, e sua carreira vinha em alta estima junto aos profissionais da área e o público. Qualquer novidade acerca do motivo dessa perda, informaremos aqui no blog.

Entretanto, não nos firmemos apenas à perda desse grande artista de 50 anos, mas lembremos sua brilhante carreira na indústria de HQs, que merece ser reconhecida e valorizada por tudo que foi conquistado por ele. Muito conhecido pelo seu domínio sobre a figura feminina, Rio foi o responsável por desenhar uma grande quantidade de personagens protagonistas femininas conhecidas no ramo dos super-heróis, como a bárbara Red Sonja, Vampirella, Gen13, entre outras. Rio também foi desenhista de grandes personagens das gigantes Marvel e DC, onde trabalhou com os X-men, Capitão América, Hulk, Mulher Maravilha, Novos Mutantes, entre muitos outros.

Mulher Maravilha
desenhada por Rio

Sempre sendo lembrado quando uma história precisava de um traço sensual e de boa fluição, Rio estava prestes a concluir a produção da história "Fever Moon", escrita pelos autores de best-sellers Karen Marie Moning e David Lawrence, que viria a ser lançado pela editora Random House neste verão. Além disso, ele trabalhava em projetos pessoais envolvendo tramas de ficção científica e constantemente doava parte de seu material original para causas sociais.

A família de Rio foi, de longe, a mais afetada por essa estarrecedora notícia, e gostaríamos de deixar aqui todo o apoio possível para eles, e que Deus possa trazer-lhes paz neste tempo de choque.

A quem interessar, o site Studo Made in PB apresentou uma boa matéria sobre esse acontecimento, que pode ser conferida aqui, e o site americano Bleeding Cool apresentou um trabalho mais minucioso acerca das informações sobre a carreira de Al Rio e seus trabalhos correntes, o que também pode ser conferido aqui.

Al Rio, em 1995, em frente ao mural da Marvel na fachada
da Comic Shop Revistas & Cia, postada pelo desenhista
J. J. Marreiro em seu Facebook

5 comentários:

João Ferreira disse...

Vou dizer que, de nome, não conheço o artista. Mas pelas imagens que vc postou, era talentoso. Uma grande perda, realmente... :-(

* Andhora Silveira * disse...

Um grande desenhista... Lamentável o que aconteceu. Muito triste mesmo :(

Júnior Nascimento disse...

Lamentável a sua partida...

A vida é lâmpada acesa: vidro e fogo. Vidro que com um sopro se faz; fogo que com um sopro se apaga.


God bless...

Nano disse...

Uma grande perda para os quadrinhos. Lembro dele desenhando a Red Sonja.

Victhor Asckermann disse...

Já estou seguindo seu blog!!!

Se puder, segue o meu de volta? http://therevolucaonerd.blogspot.com/